sexta-feira, 23 de junho de 2017

Da put@ da idade



Tenho 41 anos.

Considero que nunca me alimentei de forma tãosaudável como agora...

Tenho-me mexido alguma coisita... pouco, mas diariamente.

Tenho hidratado convenientemente o meu corpo.

No entanto, os resultados que vejo são negativos. E cada vez mais.

Deixei de compreender o meu corpo. Ele já não responde aos estímulos que lhe dou.

Deve ser a chamada "Put@ da Idade"

Mas baixo os braços?... Lógico que não! Essa não sou eu, porra!

Informo-me e tento dar-lhe a volta. De braços cruzados é que não fico.

Não vou falar de números, que não vale a pena, mas ultrapassei uma barreira que não queria nem por nada, e não vou descansar enquanto não alçar a perna de volta ao outro lado.

Espero sinceramente que este livro me dê umas luzes sobre o que se está a passar com o meu corpo e como domar as alterações hormonais e metabólicas que estão a atacar-me de momento.

5 comentários:

  1. Mas aumentou o peso ou sentes a roupa mais apertada? É que uma coisa não implica necessariamente a outra, como bem sabes!
    Se o livro ajudar, avisa, que os 40 estão mesmo à porta! ;)

    ResponderEliminar
  2. Sinto tudo: mais peso, roupa mais apertada, barriga e coxas mais volumosas... é o raio do metabolismo que parece pôs prego a fundo no travão...

    ResponderEliminar
  3. Pois, como entendo...
    É a vida.
    Mas olha que um bom médico deve informar melhor que um livro...
    Nós não temos é essa cultura da imagem e do corpo dessa forma como, por exemplo, os brasileiros têm. Lá qualquer coisinha e ninguém leva a mal se quiseres mudar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aqui ainda és mal vista se te queixares das mudanças da idade. É natural - pensam alguns médicos. E por isso deves submeter-te ao inevitável sem grandes queixumes.

      Eliminar
    2. Concordo contigo. Eu é que ainda não me tinha batido que as alterações do corpo tivessem a ver com a idade. Na minha cabeça, isso só acontecia por volta dos 50, nunca aos 40. Por isso estou interessada em ver o ponto de vista desta senhora.
      Eu sempre fui muito auto-didata nestas coisas da reeducação alimentar, nunca encontrei um médico que compreendesse o meu ponto de vista. Era sempre dieta sensaborona e ponto final.
      Possivelmente depois consultarei um médico, mas só mesmo se não conseguir dar a volta ao resultado por mim só :)

      Eliminar