segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Deste cansativo fim de semana


Como presente de aniversário, a Bia pediu para ir ao concerto dos R5. A tour desta vez não passou por Portugal, então fomos a Madrid para o nosso único concerto deste ano.

Apesar de gostar de andar no laréu, confesso que, nestes últimos dias, não me estava a apetecer nadinha fazer esta viagem.

Não me estava a apetecer ultimar os preparativos, nem fazer o itinerário, não me estava a apetecer passar por aquela fase exaustiva de pré-concerto para uma banda que até gosto e que já tinha visto ao vivo outras duas vezes, mas cuja paixão é da minha filha.

Não estava a sentir, pronto!

No sábado, depois de nos levantarmos literalmente de madrugada (4h00) andámos a manhã inteirinha a passear pelo centro de Madrid de mochila às costas. De tarde, e por mero acaso, descobrimos que a banda ía fazer uma sessão de autógrafos que, obviamente, não podíamos perder. Foi um miminho bom que a Bia não estava à espera e valeu bem a pena, trouxe um cd autografado, pode estar bem pertinho e até eu falei com eles.

Resultado do primeiro dia: depois de muito poucas horas de sono e de uns quilómetros valentes nas pernas, deitámo-nos ainda não eram 9 da noite 😅.

No dia seguinte, já bem descansados, fomos passear ao maravilhoso Parque del retiro e a Atocha. Almoçámos por lá e ala para o recinto do concerto que ainda ficava longe do centro.

Confesso que a parte do espera-levanta-senta-está calor-doi o cu-doi os pés-tenho sede, é um bocado chata e realmente é preciso gostar muito para aguentar, mas acabou por correr bem.

Apesar de estarmos sensivelmente a meio da fila, quando entramos na sala (que não tinha lugares marcados era plateia em pé) furando aqui e ali pelos cantinhos, a Bia acabou por ficar na primeira fila e eu atrás dela, mais uma vez com vista privilegiada 😊.

Eu não sei porquê, não gosto muito de dançar, mas nos concertos, por mais cansada que esteja, não consigo estar quieta. É o máximo! Adoro! Cheguei ao fim a pingar, exausta, com a voz fraca, mas imensamente feliz. Primeiro pela minha filha, que mais uma vez viu uns miúdos que adora e segundo por mim que continuo a gostar e a divertir-me imenso, não interessa a que idade.

Apanhamos o metro as duas sozinhas às 11 da noite e mesmo assim sempre com o sentimento de segurança. O metro de Madrid é extremamente fácil de entender e leva-nos literalmente a qualquer sítio da cidade.

Desta vez resolvi arranjar alojamento perto do aeroporto com tranfer para o metro, mas longe do centro... big mistake. O grande problema é que estando longe do centro, não nos dava apoio para guardar mochilas e ir descansar um bocadito ou assim, limitava-nos um bocado. Da próxima vez o alojamento é novamente no centro da cidade.

E pronto, foi um fim de semana de muito movimento, muito passeio, muitos quilómetros a pé, pouco descanso e comida de pouca qualidade 😄.

Vai ser para repetir em finais de março, também em Madrid, mas dessa vez por minha causa, a Bia é que vai ser a acompanhante 😆

Ah, e se este ano só fomos a um concerto, para o próximo ano já temos bilhetes para três: um novamente em Madrid, outro em Cardiff e outro em Lisboa, de diferentes artistas, claro. E cheira-me que não vamos ficar por aqui...

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Dia nacional da prevenção da obesidade


Faz precisamente hoje 14 anos que dei o primeiro passo na minha reeducação alimentar.

Ironicamente, descobri há pouco tempo que é neste dia que se fala ainda mais da prevenção da obesidade... engraçado, não?!

Ao longo destes anos todos, o que mais agradeço ter conseguido foi passar a amar-me a mim própria, saber que eu mereço o mundo e a sentir orgulho em mim, com todas as virtudes e defeitos.

E esta minha tatuagem é o símbolo disso mesmo, no pulso direito para nunca mais me esquecer de me amar.

O que mais pena me dá foi ter passado tanto tempo no passado a repudiar-me e com a autoestima no nível negativo.

A Sweet do presente tem uma mensagem para a Sweet do passado e esta música diz absolutamente tudo. É muito isto:

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Atletas... ah, pois é!!

No sábado:
- Mãe, agora que somos atletas temos de ter cuidado connosco, com a alimentação e tudo. Eu ajudo-te a ti e tu ajudas-me a mim, combinado?

- Claro que sim, filha. Até estou mesmo a precisar de uma ajudinha que ando a comer porcarias a mais.
...

No domingo:
- Apetecia-me comer KFC...
- Então e a conversa das atletas e tal?!
- Oh, domingo é dia da asneira!...

Atletas em grande forma 😂

sábado, 7 de outubro de 2017

Tu consegues tudo, mãe!


Eu sempre tive medo da água. No duche não gosto de molhar, no mar a água não me passa dos joelhos, na piscina não me atrevo a largar a bordinha. Eu costumo dizer, na brincadeira, que vou morrer na água.

Bia, quando quisers aprender a nadar, eu vou contigo! - já lhe tinha dito isto tantas vezes que nem acreditei quando ela me disse nestas férias que queria ir para a natação...

Engoli em seco e sem pensar muito fui inscrever-nos na piscina municipal. Hoje começaram as aulas e o nervoso miudinho apoderou-se de mim.

E se não conseguir superar o medo da água?
E se só houver miúdos pequenos na aula, que vergonha...
E se a professora não compreender o meu medo e não respeitar o meu ritmo?
E se... E se... E se...

Afinal... nada disso!!

Além de mim e da Bia havia mais uma moça da minha idade, um pouco mais avançada na aprendizagem e 3 miudinhos.

A professora foi o máximo, sempre a dar-me exercícios que achava que eu conseguia superar e eu confesso: nunca imaginei fazer tantos progressos numa só aula.

Aprendi a respirar dentro de água, aprendi a largar-me da bordinha e com a ajuda do esparguete já me consigo movimentar um pouco no meio da piscina.

Fiquei bastante entusiasmada, a Bia sempre de olho em mim e no fim saiu-se com um orgulhoso: Eu não te disse que conseguias mãe?! Tu consegues tudo o que quiseres!

Isto é o que eu sempre lhe disse a vida toda. Ela aplicá-lo em mim é uma dupla vitória!

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

É muito isto...


Esta semana, à pala da TPM - *coitadinha-de-mim-que-estou-com-dores-e-desconsolada-e-mereço-e-é-TPM-é-incontrolável* - enfardei chocolate à grande na 2ª feira à noite... e na 3ª feira à noite... e ontem à noite... e agora estou aqui a lutar comigo mesma para não ir tirar um chocolate quente da máquina porque RAISMAPARTA SE NÃO SOU MAIS FORTE DO QUE O VÍCIO!!

Dasse... já não comia chocolate há tanto tempo - depois da gastroenterite fiquei com medo que me fizesse mal e deixou simplesmente de me apetecer - para que é que me meti outra vez no vício!!

domingo, 24 de setembro de 2017

Mente jovem


Ontem à tarde foi a festa da Bia para os amigos. Ela adora fazer festa para os amigos e enquanto quiser, não me importo de ter a trabalheira em duplicado (uma para a família, outra para os amigos)

Apesar de ter toda a liberdade para fazer absolutamente o que lhe apetecesse - desde shopping, passeio na praia, passeio na Baixa, jantar, cinema, parque, sei lá, tudo... - ela escolheu fazer a festa lá em casa.

Como eram 9 miúdos e para estarem completamente à vontade, pusemos a mesa na garagem, um colchão a servir de sofá, spotify a dar toda a música que ela gosta e lá ficaram eles o mais à vontade possível a conversarem e na galhofa a divertirem-se.

E como se divertiram! E comeram... ai que os adolescentes comem taaanto!!!

Tanto que quando perguntamos se alguém queria ficar para jantar, ficaram quase todos (bom sinal, portanto).

Fomos buscar umas pizzas e juntámo-nos a eles.

Amigo #1: Já ouviram a música nova da Miley que saiu ontem?

Eu: Ouvi, é tão fixe, do estilo do Elvis! Até o look dela está perfeito.

Amiga #2: Gosto tanto dos pais da Bia! Podemos ter uma conversa destas que eles percebem e conseguem conversar!

Amigo #1: Sabem o que podiamos fazer? Fantasiávamo-nos no Halloween, íamos pedir doces e depois vinhamos dormir para aqui para a garagem, era tão giro!!

Amiga #2: Mas a mãe da Bia também vem! Não me quer adotar?!

Decididamente consigo dar-me melhor com os jovens do que com pessoas da minha idade. Mas atenção, sem ser cola, dou-lhes toda a privacidade que eles precisam, mas consigo integrar-me perfeitamente no meio deles.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Fez-lhe bem fazer 15 anos...


Hoje ouvi a minha filha dizer as palavrinhas mágicas:

- Mãe, quero experimentar comer legumes!

Ouvi cânticos dos céus... juro!!

Tal como disse aqui, estava tão preocupada em mantê-la afastada das gorduras que descurei a parte dos vegetais e nunca consegui introduzir legumes que não fossem na sopa, nem frutas que não fossem maçã, cerejas ou clementinas... a miúda é esquisita comó raio!!!

Mas partindo esta decisão dela, estou finalmente a ver uma luz ao fundo do tunel 😊