segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Inimigo nº 1

Quem é? Quem é?...

É a preguiça pois claro!!

Desde o início do mês que voltei a levar almoço de casa.

Sim, eu gosto de almoçar fora com colegas, ver gente, ouvir baboseiras e espairecer. Sim, eu gosto de não ter a preocupação de preparar mais uma refeição, seja nova ou repetir a de véspera.

Mas...

A tentação da escolha é muita e as opções, por mais saudáveis que possam ser, ficam muito aquém do que eu consigo ao controlar em casa os alimentos e a própria confeção.

O maior problema com que me tenho deparado é sem dúvida nenhuma a ementa. Ou eu me organizo convenientemente ou está o caldo entornado. Eu até nem me importo de não variar muito, mas tem mesmo de ser tudo muito prático.

Sopa e fruta há sempre, o que está no meio é que é o pior. Têm sido mais as vezes em que o resto é um desenrasca do que propriamente um complemento adequado e isso não adianta nada à causa suprema da dieta / re-educação alimentar.

Por isso, esta semana voltaram as ementas para almoços, lanches e jantares.

É realmente uma grande ajuda, não sei porque facilmente deixo este excelente hábito para trás... Perco 10 minutos, mas organizo refeições para 7 dias, vario muito mais a alimentação (lanches e jantares principalmente) e garanto que não me falta nada para a confeção.

Também decidi experimentar algo que já ouço falar há anos, mas a que nunca me tinha dedicado: legumes assados no forno (fez-se luz aqui...)


Experimentei com courgete, batata doce, beringela, alho francês, abóbora, cenoura e cogumelos, sal, colorau, um fiozinho de azeite e outro de vinagre balsâmico e... nhamm, é uma delícia!! Da próxima troco a beringela por couve flor, foi a única coisa que não gostei tanto.

A ideia é deixar já separado em porções individuais (espero que não se estrague ou fique choco) e juntar só alguma proteína; hoje foi frango estufado, amanhã vai ser bacalhau esfiado, por exemplo.

Vamos lá ver como é que isto corre!!

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

After party


Setembro é um mês recheado de acontecimentos = festas = abusos = restos booons...

Se no sábado passado a festa foi com a família para o hubby e a filhota, este sábado a festa será exclusivamente para as amigas adolescentes da filhota = mais restos...

Eu tenho um grande problema: acho sempre que faço pouca comida porque não quero que fiquem muitos restos, mas como também não quero que falte nada, acabo sempre por pôr mais isto e mais aquilo e acaba por sobrar coisas que não fazem parte da nossa alimentação diária.

Cá em casa não se desperdiça comida, portanto os restos foram todos aproveitados a muito custo (not), porque um dia (ou dois) não são dias... e porque afinal foram duas festas em uma :))

Nos entretantos voltamos à alimentação regrada e tentamos arranjar artimanhas para que a preguiça não faça estragos no planeamento das refeições (assunto para outro post).

Amanhã vai ser outro dia com direito a tudo que os adolescentes gostam, porque é um dia de festa e porque um dia não são dias. Só espero que os restos não sejam muitos...

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Aaahhhh!!...


- As manhãs frescas e tardes ainda amenas
- O conforto da manta no sofá
- Os tapetes de folhas secas no chão para pisar
- As árvores pintadas de vários tons de castanho-avermelhado
- O prazer da chávena de chá quentinha
- O por do sol mais intenso
- Tardes de sábado com maratonas de séries enquanto morrinha lá fora

Sou mesmo uma pessoa de outono (ou não tivesse nascido em novembro), é a minha estação do ano preferida.

A única coisa que realmente não gosto é dos dias mais curtos e noites mais longas... de resto é perfeito!

Começa hoje às 3 da tarde.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Do dia em que a minha vida mudou


Pouco passava da meia-noite quando acordei com uma vontade estranha de ir à casa de banho. Sentei-me na sanita e sem esforço nenhum senti o chichi a sair... não, afinal tinha-me rebentado as águas.

- Talvez não seja isso, vamos esperar um bocadinho para ver se esta pressão estranha na barriga pára. Não parou, continuou em intervalos regulares, eram as contrações...

Nessa tarde, a obstetra tinha andado a mexericar lá por baixo para tentar apressar a coisa e a indução estava, de qualquer modo, marcada para a manhã seguinte às 8:00 na Maternidade.

Na confusão, o carro virou para o Hospital de S. João, era mais perto.

- Estou, D. Alice, vamos a caminho do Hospital, a menina vai nascer...
- Para que é que estás a inventar Luís, ainda há bocado saí daí de casa e estava tudo normal...
A minha mãe nunca mais dormiu.

Desta vez não consegui descer as escadas para o piso da obstetrícia pelo meu pé. A dor era chata, um aperto estranho no fundo da barriga.

- Ora bem, está em trabalho de parto, sim senhora, mas isto ainda vai demorar umas horitas. Pode ficar ou pode voltar mais tarde se quiser.

Fiquei, claro. Deviam ser umas 2 da manhã. Até me darem a epidural foi um tormento... eu estava descontrolada, essa cena de controlar a respiração deve funcionar, mas eu não me conseguia concentrar.

Estou cheia de sede, tenho calor... ele sopra-me na cara para me refrescar(?)...
- PÁRA COM ISSO!!
- Ó menina, ele não tem culpa!...

Finalmente vem o anestesista. Não me posso mexer para tomar a epidural, coisa quase impossível no meio de contrações dolorosas. Já está!

Engraçado, belisco as pernas, sinto a pressão, mas não a dor! A partir daí, só o monitor regista as contrações, eu já não as sinto.

Consigo dormir algumas horas enquanto ele, coitado, olha para a televisão na sala ao lado, não deve estar a ver nada.

Oito da manhã, muda o turno e o corropio no meu quarto recomeça, agora com outras caras. Agora várias pessoas entram e saem amiúde.

- É agora, vamos a isto. Quando sentir as contrações faça força!
Eu não sinto as contrações, o monitor é que as indica.
- Faz força agora! Mais uma vez e já está!
Só me lembro de várias pessoas à minha volta e um médico novo a fazer força com os braços no topo da minha barriga a empurrar a bebé para baixo.

Não sentia dor nenhuma. Sentia a pressão do corpinho dela e senti nitidamente as perninhas a sair. Nunca me hei-de esquecer dessa sensação.
- O pai quer cortar o cordão?
- É melhor não. A voz treme-lhe.

Vejo-a pela primeira vez. Os olhos enormes muito abertos e a linguazinha fora e dentro a lamber os lábios. Tão linda. Tão perfeitinha a minha Bia!

Eram dez horas certinhas!

Enquanto tratam de mim, vejo que a embrulharam e colocaram numa mesinha à espera do primeiro abraço. Ela continua com os olhos muito abertos e a linguazinha de fora, muito atenta aos barulhos que a rodeiam.

Ainda senti a darem-me os últimos pontos, o efeito da epidural já estava a passar, mas eu já só pensava no momento seguinte.

Deitei-me de lado com a Bia junto a mim. Ela estava ali. Parecia mentira. Procurou logo a maminha, como se fizesse isso a vida toda :) e ali ficamos um bom bocado só a olhar para ela, como se não existisse mais nada no mundo.

Foi precisamente há 14 anos atrás! Parabéns minha princesa! Adoro-te miúda!!

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Meio mês depois...




Quinze dias depois do recomeço destas novas rotinas, este é o aspeto da tabelinha que está colada no frigorífico.

- As rotinas com o cuidado do corpo estão implantadas, corpo e rosto hidratados e limpos sempre.

- A água e a alimentação tiveram uma grande melhoria, estou no bom caminho, considerando que o mês de setembro é recheado de festas (nem um único fim de semana livre este mês!)

- O exercício: confesso que os quadradinhos estão quase todos em branco, mas propositadamente. Quis experimentar ver como o meu corpo reagia só com a alteração na alimentação. Sim, será para introduzir algum exercício, mas mais para a frente, nem me vou preocupar com isso este mês.

- Danos colaterais: o peso obviamente baixou, nem outra coisa seria de esperar. Não foi muito, mas o suficiente para me manter motivada. Decidi pesar-me só no dia 1 e no dia 15 e isso também me faz andar mais descontraída.

De consciência tranquila, isso sim, é importante!

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Olha olha...

https://www.instagram.com/_lena_sweet_/
Sweet
A Sweet está no instagram! Aquilo é engraçado...

Não que eu ponha lá muita coisa de jeito, mas se quiserem seguir, estão à vontade.

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Ando viciada em cenas australianas....


Seja em formato de música - 5 Seconds of Summer
Seja em formato de comida - Masterchef Austrália (demora muito para começar uma nova temporada?!)
Seja em formato de decoração - House Rules (atualmente no top de preferências mãe e filha)

Ora a combinação Sweet + programas de makeover é uma coisa perigosa. Esta cabecinha anda sempre a magicar.

Depois de redecorar o hall, a sala, o quarto da Bia e o quartinho de brincar, ficou só a faltar o meu quarto.

A minha casa, que era super-colorida, levou um tone-down e agora está em tons mais naturais, menos garridos e só o meu quarto lavanda com cerejeiras em flor é que destoa.

Eu normalmente até estou quietinha até que vejo uma coisinha qualquer que desperta a minha veia de decoradora. Aconteceu ontem, por acaso noutro programa de makeover que comecei a ver (Brother vs Brother). Alguém estava a pintar paredes de cinza clarinho e foi o bastante.

Hoje já fui cheirar papeis de parede e adorei dois completamente diferentes que me enchem as medidas em vertentes opostas. Um é suave e romântico. O outro é abrutalhado, mas com a conjugação de cores mais perfeita que eu já vi para o efeito que quero.

E agora? Qual é que eu quero? O abrutalhado ficou-me logo no coração. A cabeça diz-me que o romântico é mais adequado ao quarto...

Romântico com purpurinas
Abrutalhado com cores perfeitas

Não sei como vou escolher. Só sei que não vou descansar enquanto não vir a obra pronta... pobre hubby...