domingo, 22 de abril de 2018

Ora vamos lá outra vez


De Cardiff, além de boas recordações, trouxe também um quilo a mais.

A alimentação fora de casa ainda é uma arte que eu não domino... mas comi uns hamburgeres com batatas fritas maravilhosos #noregrets.

Vai daí, recomecei aos poucos ontem mesmo. O meu foco esta semana é:
* afastar-me ao máximo dos doces (sinto-me novamente dependente)
* beber muita água (bebi quase zero lá, a água sabe mesmo mal)
* mexer-me todos os dias (por pouco que seja)

Preciso de desintoxicar, sinto o meu corpo a suplicar isso mesmo!

Até sexta quero andar na linha. Não numa dieta rígida de legumes com peixe cozido, nada disso, só uma alimentação um pouco mais controlada e manter o foco... tantas e tantas vezes me distraio sem me aperceber...

FOCO!!

quinta-feira, 19 de abril de 2018

A felicidade dela dá-me anos de vida


Foi provavelmente o dia mais feliz da vida dela até hoje. Aquele sorriso ali vale tudo! O dinheiro gasto, a ansiedade da organização, tudo.

A Dua Lipa não veio a Portugal, mas o concerto de Cardiff no País de Gales tinha ainda uns bilhetes vip de meet&greet e tratamos de lhe oferecer este miminho.

Oferecer só a viagem e a estadia que os bilhetes dela e os nossos, assim  como o merchandise que quis comprar lá, ela fez questão de pagar com as mesadas.

Na terça chegamos a Bristol já perto da meia noite e ficamos num hotel excelente mesmo em frente ao aeroporto. Na quarta a meio da manhã, também no aeroporto, apanhamos a camioneta rumo a Cardiff.

É tudo muito verdinho, agradável e  om um toque rústico e antigo, mas sem ser velho.



Já em Cardiff, na quarta não vimos grande coisa. Ficamos num hotel mesmo em frente à arena e o evento para ela começava a meio da tarde. Era altura de absorver aquele ambiente da melhor maneira.


O concerto foi muito bom, a miúda sabe prender a multidão e a minha filha estava no sétimo céu... Missão cumprida! O sorriso dela era até à lua!

Na quinta, tinhamos a manhã inteirinha para explorar a cidade, que é pequenina. Sabendo que no início da tarde tínhamos de apanhar a camioneta de regresso ao aeroporto, tínhamos o tempo contado, então decidimos concentrar-nos somente numa visita ao castelo que é o ex-libris da cidade e aos magníficos jardins envolventes.





É maravilhoso! Fizemos ainda uma visita guiada ao interior da casa senhorial e o nosso espetacular guia era um autêntico mestre no tão famoso humor britânico. Foi a cereja no topo do bolo!



E pronto, foi a hora da despedida. Acabou por ser uma excelente maneira de viajar para o estrangeiro e conhecer uma cidade que de outro modo nunca na vida me passaria pela cabeça conhecer.

Foi uma espécie de 2 em 1: concerto de sonho + escapadinha inglesa.

Como de costume, a minha ansiedade era desnecessária, estava tudo bastante bem organizado e correu tudo mesmo bem.

Estas mini-aventuras preenchem-nos a alma e às costas disto, acabamos por  conhecer sítios inusitados.

E aquele sorriso... Ai aquele sorriso...

domingo, 15 de abril de 2018

O fim de semana foi uma desgraceira


Na terça vamos viajar para o País de Gales e o nervoso miudinho apoderou-se de mim novamente. Já tive insónias com isto, já sonhei e já tive pesadelos.

Esta cena de organizar viagens é relativamente nova para mim e stressa-me. Arranjar voos, hoteis, transferes, ver onde fica o aeroporto, como ir até ao hotel, onde é a arena, onde é o terminal das camionetas... E desta vez com a dificuldade acrescida de chegar a uma cidade desconhecida perto da meia-noite e de manhazinha ter de apanhar uma camioneta para outra cidade...

Sim, tenho tudo organizado. Sim tenho tudo impresso. Sim tenho todas as moradas e inclusivamente mapas impressos apesar de lá termos gps. Sim sei falar inglês, muito bem até, faço isso todos os dias no emprego...

Mas estou nervosa e dá-me para comer... E porcarias ainda por cima. Este foi um fim de semana de comer porcarias, de andar sempre a depenicar e de me encher de açúcar para tentar acalmar os nervos que não se veem, mas que estão cá.

O que vale é que o motivo é bom: realizar outro sonho da minha princesa é das coisas que me dá mais prazer na vida!

sábado, 14 de abril de 2018

Já não era sem tempo


Finalmente a chuva deu tréguas e pudemos começar com as caminhadas!

Ontem antes do jantar fomos dar uma bela caminhada a três e hoje fui eu e a princesa e com prazer, que é o mais importante.

No caminho ainda apanhamos umas florinhas silvestres para alegrar a casa de banho (vantagens de viver no meio do campo, ainda que às portas da cidade).

Na próxima semana vamos dar um saltinho a Cardiff no Reino Unido onde a Bia vai realizar um dos sonhos dela que é conhecer a Dua Lipa - a miúda merece! - portanto, calculo que vão ser mais dois diazinhos de caminhadas forçadas :)

Depois disso, espero que a vontade não esmoreça...


domingo, 8 de abril de 2018

Lasanha de vegetais


Eu considero-me uma boa cozinheira. Não inovo muito é verdade muito por causa da minha filha não ser nada dada a experimentar novos sabores e alimentos. Procuro fazer comidas que toda a família gosta e as novas experiências guardo-as normalmente para as minhas marmitas

Desta vez, numa versão mais vegetariana, surgiu esta lasanha de vegetais com sabores simples mas deliciosos.

E fácil que é de fazer...

Num tacho com um fio de azeite e dois dentes de alho picadinhos salteei cogumelos frescos laminados. Quando estavam a meu gosto pus um pouco de vinho, água e polpa de tomate. Juntei courgete e cenoura em cubinhos, raminhos de brócolos e couve em tirinhas. Juntei um pouco de pó de sopa de cogumelos instantânea para engrossar o molhinho e dar sabor e deixei cozinhar um pouco.


Depois foi só montar a lasanha. Como o recheio tinha bastante molho utilizei só um pouco de bechamel na base antes da primeira camada de massa e na última antes do queijo para gratinar.

Cortei em porções e congelei para algumas marmitas prontas.

Ficou mesmo deliciosa!

Já não é a primeira vez que utilizo sopas instantâneas para enriquecer os molhos. Utilizei esta sopa de cogumelos para fazer o molho de uma espécie de carbonara e foi um sucesso, assim como no molho dos bifinhos com cogumelos em substituição de natas que muito raramente entram lá em casa. A sopa de rabo de boi e o creme de marisco são também sopas que costumo ter para estas pequenas invenções.

Bem sei que a lista dos ingredientes é tudo menos natural e saudável, mas utilizo pouca quantidade e poucas vezes também.

sábado, 7 de abril de 2018

Plano: vencer a preguiça!


Toda a gente sabe que a melhor maneira de não ceder à tentação é rodearmo-nos de boas opções, reduzir as tentações e planearmos as refeições.

Por aqui não há cá comida desperdiçada. Nada. Sempre que me sobra carne cozinhada que não me apetece comer aquecida, vai para uma caixinha no congelador. Quando me apetece tenho tempo é transformada em croquetes, rissóis ou ultimamente em pastéis de carne.

Para estes pastéis fantásticos cozi uma batata doce, os talos dos brócolos, triturei tudo com a carne (desta vez era bifanas e carne do cozido) e moldei as bolinhas. Quando me apetecer, ponho no forno pinceladas com azeite e acompanho com uma boa salada ou até com feijão frade e ovo cozido para uma bela marmita.

Aproveitei e cozi também brócolos para alguns almoços da semana. Se já estiver pronto, as desculpas são menos.

E já que estava na cozinha, fiz uma belíssima lasanha de legumes que dividi em porções e congelei já cozinhada. Ficou tão boa que vai ter um post só para ela brevemente.

Também fiz uma rica sopinha de legumes. Desde que aprendi um truquezinho, as minhas sopas ficam muito melhores: em vez de cozer a cebola juntamente com o resto dos legumes e no final pôr um fio de azeite, a primeira coisa que faço é refogar a cebola no fio de azeite e só depois junto o resto dos legumes e a água. Fica muito mais saborosa!

Além disto tudo, ainda andei com a roupa às voltas. Como estava a ameaçar chuva e tenho a máquina de secar na garagem (vivo no 2o andar) acabei por subir e descer as escadas mais de meia dúzia de vezes.

Foi uma manhã de sábado bem produtiva, sem dúvida!

sexta-feira, 6 de abril de 2018

Ora bem...


É mais ou menos isso... o foco e a força de vontade vão e vêm... tem dias...

Nos 3 dias em que estivemos em Espanha, não houve nenhum em que o meu telemóvel marcasse menos de 15.000 passos por dia.

Na primeira noite, o meu joelho esquerdo tinha uma moinha tão chata que pensei mesmo que me ia ressentir nos dias seguintes. Mas foi só ele a dizer Ei, lembras-te porque é que devias fazer caminhadas regulares? Estou todo enferrujado!!

Tenho mesmo de voltar às caminhadas. Temos de voltar às caminhadas a três. Faz bem a todos!

Para já combinamos 3 vezes por semana à 3ª, à 6ª e outra ao fim de semana. Mas para isso o tempo tem de começar a colaborar. Admiro muito aquelas pessoas que vejo na berma da estrada com os fones faça chuva ou faça sol, mas confesso que isso não é para mim.

É que, caramba, eu gosto mesmo de caminhar sozinha só com a minha música; gosto igualmente de caminhar a três na conversa. O que me custa mesmo é dar aquele primeiro passo, aquela decisão crucial entre esparramar-me no sofá embrulhada em mantas fofinhas com os pés da filhota encaixados debaixo das minhas pernas ou calçar as sapatilhas e vestir o casaco para uma caminhada.

É esse momento que tem de ser trabalhado...