segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Diálogo interior


Ontem na minha cabeça:

- Cá está o click que eu esperava. Hoje vou beber a água que preciso e não vou comer doces!
- Sinto mesmo vontade de cumprir tudo direitinho hoje!
- (sentada no sofá) Agora fazia 15 minutinhos de elítica...
- (ainda sentada no sofá) Deixa lá, fevereiro só começa na 4ª feira, não faças, deixa-te estar aqui com a manta...
- (continuando no sofá) Mas tás parva ou quê?! Levanta-me já esse cu e vai lá! JÁ!

Levantei-me e fui antes que a minha consciência me berrasse outra vez! Foram só 15 minutos, custou-me imenso, fiquei com o peito a arder e as pernas a tremer, só para verem o quão em baixa de forma eu estou.

Cheguei à sala e diz a minha filha:

- O que te deu? Há quanto tempo não fazias elítica?
- Há tempo demais! Vou fazer mais vezes...

A sensação?... Ótima, claro!

Ah, e bebi os 2 litros de água e não comi um único doce (coisa inédita de há uns meses para cá).

São passinhos muito pequeninos eu sei, mas o primeiro passo - que é o mais difícil - está dado. Agora é só continuar...

domingo, 29 de janeiro de 2017

Já chega de procrastinar!


Já passaram as festas de Natal e de Ano novo...
Já passaram as seis festas de aniversário de janeiro...
Já passou a maior constipação que tive nos último tempos...

É a altura de voltar a disciplinar-me...
É a altura de voltar a mexer-me...
É a altura de voltar a hidratar-me...
É a altura de voltar a desintoxicar-me do açúcar...

Ontem passei o dia inteirinho no sofá! Levantei-me e fui ver séries para o sofá. Fiz o almoço e fomos para o sofá estudar. Lanchamos e deixamo-nos ficar no sofá a ver televisão. Fiz o jantar e continuamos no sofá até serem horas de ir para a cama. As pernas doem-me de tanta inatividade. É altura de por um ponto final nesta inércia!

Plano para fevereiro:

- Fazer um pouco de elítica ou caminhada todos os dias. Por pouco que seja, será sempre mais do que faço neste momento. O meu corpo implora isso, eu sei!

- Beber 2l de água por dia. Todo o corpo agradece!

- Reduzir o consumo do açúcar ao mínimo. O meu corpo está novamente viciado nesta droga e tenho de a largar. Sei que os primeiros dias vão ser difíceis, mas sei que tenho de parar já. Por mais que me custe!

Sim, continuo feliz no meu corpo! Mas sei que neste momento não lhe estou a dar o carinho e a atenção que ele merece, por isso quero concentrar-me mais nele, sei que ele (eu) merece.

Já chega de procrastinar!!

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Da tosse de cão!


Apesar de ainda andar com voz sexy (not), finalmente voltei a sentir cheiros e sabores! Era uma das coisas que mais me estava a incomodar. Coitadas das pessoas que não têm estes dois sentidos muito apurados, a vida é bem mais colorida com eles a 100%.

Mas veio a tosse... ai o raio da tosse!! Eu sou daquelas pessoas que mal me deito tenho ataques de tosse que duram 2 / 3 horas, é desesperante para todos.

Desta vez recorri a tudo o que me lembrei e não é que resultou?!

- Na farmácia comprei Bronchodual - o sabor é horroroso, é à base de tomilho, mas dá para todo o tipo de tosse e realmente resultou...

- Fiz o saudoso xarope de cenoura com açúcar amarelo - a eficácia está por comprovar, mas que nos leva de volta à infância isso é inegável...

- Coloquei mais uma almofada para ficar com a cabeça mais elevada - diz que liberta as vias respiratórias...

- Na mesinha de cabeceira pus uma rodela de cebola - ouvi esta e nem queria acreditar, diz que os gases que a cebola liberta acalmam...

Fosse por uma delas, fosse por todas juntas, o facto é que durante o dia ainda tenho alguma tosse, mas à noite durmo como um anjinho.

Ia dizer que estou pronta para outra, mas é melhor não, esta foi das fortes!!

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

A 40%



Desde o fim de semana que ando com uma constipação monumental.

Depois de dores excruciantes de garganta e nariz mais entupido do que sei lá o quê, lá passaram as dores e a moleza do corpo.

Já foram resmas de lenços de papel, litros de soro fisiológico e horas a fio no sofá debaixo da manta a papar séries entre sonecas reconfortantes.

Entretanto tive de vir trabalhar, enfrentar um frio como já não me lembrava há muito e continuar a tentar melhorar.

A garganta felizmente já não dói, mas o nariz continua entupido e agora chegou a malfadada tosse!!!

É sem dúvida o que mais me custa porque mal me deito, sei que as primeiras duas horas (no mínimo) são de tosse constante. É desgastante para todos (vizinhos incluídos). É xaropes, mezinhas de cenoura com açúcar, os mais variados chás, a cebola cortada na mesinha de cabeceira... tudo! E a gaja só passa quando lhe apetece.

Dos meus cinco sentidos estou reduzida a dois a funcionarem em pleno... tenho constantemente um ouvido tapado de tanto me assoar, não consigo sentir nem cheirinhos nem cheiretes e o pior de tudo tenho fome, mas nada me sabe a nada... que desconsolo completo! O paladar faz realmente muita diferença na nossa vida.

Só assim uma pessoa dá valor às mais pequeninas coisas que sempre tomamos por garantidas.

O que vale é que é sexta-feira e o quentinho espera-me!! Bom fim de semana!

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Adoro!!!


São os meus chocolates preferidos desde sempre.

A combinação perfeita entre o doce do chocolate, o amargo da avelã a suavidade do creme interior e a textura da bolacha crocante.

Podes comê-los de uma vez só e usufruir da mistura explosiva de sabores e texturas... ou podes comer uma camada de cada vez para sentir cada sabor isolado na tua boca.

Adoro Ferrero Rocher!!

Mas adoro ainda mais conseguir tê-los em casa durante imenso tempo sem ter de me conter para não os comer todos de uma vez como dantes.

Dantes não conseguia comer só um, tinha de comer 3, 4, 5, até me encher. Comia até me enjoar, com sofreguidão, como quem tem medo de não comer nunca mais e sem sequer perder tempo a saborear... Hoje um chega para me satisfazer a gula... até ao próximo, porque o próximo vai estar sempre ali à minha espera.

Hoje estão simplesmente ali. Não preciso de os esconder, não preciso de me policiar. Estão ali para quando me apetecer.

E o meu maior gozo é que continuo a adorá-los como dantes, só que agora de uma maneira saudável, sem stresses nem gulas desenfreadas.

Pequenas maluquices vitórias aos olhos de muitos, mas grandes conquistas para quem segue o mesmo caminho que eu!

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Olha lá ó Sweet...

... isto não era um blog de vida saudável, dietas, exercícios e afins?! Há quanto tempo não falas disso por aqui?

Pois é, tenho optado por não abordar essas questões de pesos, alimentação saudável e exercício físico por uma razão muito simples:

O meu foco deixou, finalmente, de estar aí! Decidi remeter o número para o lugar insignificante dele e concentrar-me em sentir-me bem comigo própria como um todo.

Sim, eu sei que estou muito mais pesada.
Sim, eu sei que passo dias e dias a cometer às vezes não tão pequenos pecados.
Sim, eu sei que há meses que a elítica está parada e que as caminhadas são uma miragem.

Mas...

A minha mente finalmente reconhece o valor que eu tenho e nunca me senti tão bem no meu corpo. E isto é a sensação mais poderosa que eu poderia ter. É a tão esperada mudança interior que eu ansiava há tantos anos.

O facto de eu estar interiormente em paz comigo própria e com o meu corpo não significa de todo que me desleixe, e que não o queira modificar.

Muito pelo contrário.

Significa que eu agora sei que o meu corpo merece que eu o trate bem, seja com alimentação correta, com água suficiente, seja a mexê-lo de vez em quando, mimá-lo com cremezinhos e mesmo a presenteá-lo com docinhos e afins.

É uma questão de puro equilíbrio, mesmo.



segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Some infinities are bigger than other infinities



“Não posso falar da nossa história de amor, então vou falar de matemática. Não sou formada em matemática, mas sei de uma coisa: existe uma quantidade infinita de números entre 0 e 1. Tem o 0,1 e o 0,12 e o 0,112 e uma infinidade de outros. Obviamente, existe um conjunto ainda maior entre o 0 e o 2, ou entre o 0 e o 1 milhão. Alguns infinitos são maiores que outros. Há dias, muitos dias, em que fico zangada com o tamanho do meu conjunto ilimitado. Queria mais números do que provavelmente vou ter e queria mais números para o Augustus Waters do que os que ele teve. Mas Gus, meu amor, tu não imaginas o tamanho da minha gratidão pelo nosso pequeno infinito. Eu não o trocaria por nada neste mundo. Tu deste-me uma eternidade dentro dos nossos dias contados e sou muito grata por isso.” - Hazel Grace in A Culpa é das Estrelas

Quero ter infinitos. Muitos infinitos. Tantos quanto tenho direito.

Quero daqueles infinitos que duram até ao meu último sopro.
Quero daqueles infinitos que duram somente um dia, ou até duas horas ou mesmo trinta minutos.
Quero daqueles infinitos que duram somente o tempo de um abraço apertado vindo daquela pessoa tão especial.
Quero daqueles infinitos que me fazem sentir única, que me fazem sentir que a vida vale mesmo a pena.

Quero viver a minha vida sem remorsos.
Quero ser a pessoa que me apetece ser e não quem os outros esperam que eu seja.
Quero fazer o que me faz feliz.
Quero colecionar momentos, emoções e vivências.

Ter chegado a este patamar é qualquer coisa de extraordinário!

Engraçado que passo dias e dias sem me apetecer escrever nada e depois há aqueles dias em que as palavras quase que se atropelam para sair da minha cabeça :-)

Bem-vindo 2017!!