domingo, 16 de abril de 2017

Porque é que ninguém me disse que isto ia ser tão difícil?!

Não há nada na vida que nos prepare para sermos mães de adolescentes.

Como é possível olharmos para aquele ser - que aos nossos olhos ainda é aquela coisinha indefesa e deliciosa que saiu de dențro de nós, que nós moldamos com tanto cuidado, do qual nós conhecemos até os mais ínfimos pensamentos, que anda sempre agarrado às nossas saias "mããee... mããee..." - e vermos que cresceu do dia para a noite, que já tem alguns segredos, algumas partes que nos é vedada. Há aquela faceta que só os amigos conhecem e quando temos um vislumbre pensamos: quem és tu e o que fizeste com o meu bebé?

É tão difícil!! Porque é que ninguém me avisou disso?

E eu tenho sorte. A relação que tenho com a minha adolescente é única em cumplicidade.

Ainda assim...

Sinto que ela está a querer voar, como é normal, eu sei, e eu só não sabia que era tão difícil. Vai sempre haver uma parte da vida dela que eu vou desconhecer e eu não estou ainda preparada.

Na semana passada, numa conversa franca com a minha cunhada que vive com os meus sogros, dizia ela: "A minha mãe conhece aí uns 3% da minha vida. Nunca eu tive com ela nem um bocadinho da relação que vocês têm. Tens sorte Bia!"

Há umas semanas atrás ela contou-nos uma coisa que muitos temem contar aos pais. Fiquei orgulhosa dela. Fiquei orgulhosa da relação que construímos com ela. Fiquei feliz por saber que ela sabe que seremos sempre o porto de abrigo dela e como ela é forte e corajosa.

Depois vieram todos os medos e dúvidas de mãe. E eu digo: não estava preparada para lidar com a adolescência. E é irónico! Eu... que fui uma adolescente difícil, não estou preparada!

A única coisa que sei neste momento é que tenho de levar isto passo a passo, sem conceitos pré-definidos.

Porque o que eu mais quero é que ela fique. Quero continuar a ser o porto seguro, mesmo em tempos mais agitados.

Eu estou aqui filha... sempre.

6 comentários:

  1. Tive a sorte de ter sempre um porto de abrigo forte do meu lado e isso, enquanto adolescente, fez-me confiar sempre na minha mãe :D

    ResponderEliminar
  2. Acredito que seja a fase mais difícil na relação pais-filhos! Não me sinto preparada para ela mas quando tiver de ser, terá de ser!
    Espero que consigas manter a boa relação que tens com a tua filha! Será importantíssimo para o crescimento dela!

    ResponderEliminar
  3. Apesar de a minha mãe ter sido uma pessoa bastante rígida comigo, na época da adolescência foi sempre minha confidente. Com a minha filha mais velha, apenas com 11 anos, mantenho uma relação de total confiança que espero que continue...a ver vamos!

    ResponderEliminar
  4. Não deve ser nada fácil esse período. O positivo é que passa!

    ResponderEliminar
  5. Se têm uma cumplicidade assim tão grande acredito que não se vai desfazer assim tão depressa. (:

    ResponderEliminar
  6. Ui... estou a ver a situação... uma coisa é certa, bons pais não têm que ser os melhores amigos, por mais que nós queiramos saber tudo e sejamos pais muito modernos, ha coisas que nunca nos vão contar, é o normal e natural. mas importa importantíssimo é eles não terem a menor duvida de que estaremos sempre ali para eles, para as coisas boas, menos boas e as que que eles achem péssimas. porque por mais má que seja a situação, e por mais desagradados que poossamos ficar com alguma situação, vamos desaprovar a situação ou a atitude, nunca a eles. Amar vamos amar sempre. um dia de cada vez... e no final lindona, bate tudo certo!

    ResponderEliminar