domingo, 24 de julho de 2016

Custa-me sempre imenso... mas hoje ainda mais...


Destralhar as coisas da minha filha: odeio! 

Guardar as roupas que já não lhe servem... os brinquedos com que já não brinca... os livros que já não lê... os filmes que já não gosta... detesto!

Lembra-me de que ela está a crescer, que já não é a minha menina pequenina. Que daqui a pouco abre as asas que já são tão grandes e começa a voar.

Odeio! Custa-me sempre imenso!

Cá em casa temos uma divisão a que sempre chamamos quartinho dos brinquedos que nada mais é do que uma casa de banho com um tamanho razoável que decidimos transformar num +1. Coisas que ela já  não queria no quarto, mas que eu ainda não estava pronta para dar, basicamente migravam do quarto para o quartinho dos brinquedos. 

Esta semana decidi transformar o espaço numa divisão mais funcional e organizada, estava toda entusiasmada a planear tudo, comprar o que queria no IKEA, montar móveis, pintar uma estante existente, tirar o que estava lá dentro, tirar o chão de vinil... até que ao ver o quartinho dos brinquedos vazio, deu-me um aperto no coração, sentei-me no chão e desabei completamente. 

Nunca mais este espaço vai ser o quartinho dos brinquedos. A menina pequenina que aqui morava deu lugar a uma jovem serena mais metida no seu canto e que não quer mais brincar com a Sofia, nem com as panelinhas, não quer que eu lhe leia o piu meio (capuchinho vermelho) nem quer ver o Pooh do Natal pela centésima vez. E isso dá-me uma saudade imensa...

Sei que ela ainda quer a minha companhia para tudo! Ela quer que eu veja o vídeo novo dos 5SOS, quer que eu ouça a música que descobriu agora dos One Direction e que veja o novo penteado do Harry Styles, quer que eu veja se gosto do Andy Biersack para expandir os meus horizontes, diz ela... Sei que ela gosta que eu tenha os gostos dela, dá-nos assunto para falar durante horas!

Mas já não é a minha menina pequenina que eu conseguia encaixar no meu colo, que adormecia na sala no meu peito e que eu ainda conseguia levar ao colo para a cama...

E é essa saudade que me fez desabar... não que eu não goste que ela cresça, não é isso... eu tenho é saudades dela pequenina... porque eu ainda gosto do Winnie the Pooh e do Ruca do Natal, mais do que filmes, são momentos que partilhamos as duas... ela é que já não gosta...

Neste momento o quartinho dos brinquedos está a meio, não consegui continuar sem extravasar os sentimentos aqui, onde me consigo acalmar.

Lágrimas choradas, é altura de continuar... sim, porque neste momento o meu quarto está neste belíssimo estado:


Vamos ver se há um antes e depois dentro de alguns dias.

1 comentário:

  1. Claro que vai haver um antes e um depois.
    Apesar de a minha filha ainda ser pequenina, já vou sentindo um pouco isso quando faço arrumações.
    Mas temos de assumir que faz parte do processo, que também nós "ganhamos asas e voamos do ninho" dos nossos pais.
    Importante é saber que são felizes e saudáveis, e pessoas bem formadas para o mundo!

    ResponderEliminar