sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Do ano que termina


Finalmente deixei de me preocupar com os juízos de valor que os outros fazem.
Finalmente decidi fazer o que me dá prazer, sem me importar com opiniões alheias.
Finalmente valorizo-me mais, reconheço o valor que tenho. E eu mereço tanto!
Finalmente cuido-me, mimo-me, adoro-me.
Chamam a isto loucura? Chamam a isto maturidade? Chamam a isto crise dos quarenta?
Talvez um mix de tudo.

Um dia disseram-me Não percebo porque achas que os outros são melhores do que tu. E foi nesse instante que eu me apercebi que o caminho da minha auto-aceitação já estava a ser trilhado. Foi aí que eu percebi que já não sentia esse fardo que tinha carregado durante tanto tempo.

Um dia disseram-me Finalmente tornaste-te na mulher que eu sempre vi em ti. E eu finalmente senti confiança e aceitei o elogio como meu de direito.

O bem estar interior não vem de um número mais pequeno na balança... não vem de um tamanho abaixo nas calças... O bem estar interior vem da aceitação da pessoa que somos, com todas as qualidades e defeitos que temos.

Já dizia a canção: todas as pequenas coisas é que fazem de ti quem és. E é verdade.

Definitivamente deixo este ano com a alma mais leve e ao mesmo tempo mais poderosa. É um sentimento maravilhoso!

Boas Festas

Sem comentários:

Enviar um comentário