sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Da (falta de) rotina


A Bia está doente desde terça.

Acho piada às opiniões alheias que acham estranho eu ficar em casa com ela apesar de a poder deixar com os avós. Eu sempre achei que uma criança doente quer sempre a mãe perto. Não é o pai, não é a avó ou o avô é a mãe. E mesmo já sendo uma autêntica adolescente, nem eu me sentia bem se não ficasse a cuidar dela.

Não critico quem opta por recorrer à ajuda preciosa dos avós, simplesmente não é para mim, pronto!

Ora, são já 3 dias em casa 24/7 longe das rotinas habituais e confesso que a "dieta" foi completamente por água abaixo.

Podia ter aproveitado para fazer umas sessões de elítica, mas preferi passar hooooras no sofá a adiantar o meu tapete de ponto de cruz.

Podia ter-me entupido de litradas de água e chás, mas até ao almoço ando a tentar acabar com os sumos da festa de aniversário.

Podia ter-me dedicado às sopas e às saladas, mas não, fiz comidinhas boas só porque sim e fartei-me de petiscar porcarias pouco tempo depois do almoço por puro aborrecimento.

Conclusão: ficar em casa dá cabo do esquema. Gosto muito de tratar da minha filhota, mas já sinto falta da minha rotina. Consigo controlar-me muito melhor fora de casa, sem dúvida nenhuma.

A princesa já está como nova e voltamos a entrar nos eixos brevemente.

1 comentário: